• Paula Costa, Artista Plástica

Artista Visual. Rio de Janeiro, Brasil.

Direito de Utilização de Imagens exclusivamente de Paula Costa, sem autorização para cópia ou compartilhamento.

All Material Copyright © 2019 Paula Costa. Site Design & Build Paula Costa 

RALSTON, Ana Carolina.
22 Nov – 21 Dez 2018 . In: Paula Costa / Ephemera Exhibition

Curadora da Exposição Ephemera / Ephemera Exhibition Curator

Emmathomas recebe Paula Costa para primeira exposição pop-up no mezanino

Ephemera, com curadoria de Ana Carolina Ralston, ocupa o segundo andar da galeria com cerca de 15 obras da artista convidada para inauguração do Emma POP

A partir de novembro, a Emmathomas Galeria ativa o espaço expositivo do mezanino para receber pop-ups de artistas convidados. A carioca Paula Costa estreia o projeto Emma POP, que tem como objetivo propiciar um ambiente artístico de experimentação para nomes expoentes da cena contemporânea, selecionados pela curadora Ana Carolina Ralston. A arte viva e mutante é o fio condutor de Ephemera, solo project que abre ao público no dia 22 de novembro, às 19h, no mezanino da galeria.

Tempo. A produção de Paula Costa percorre o tempo entre a beleza de florescer e envelhecer. Utiliza agulha, fio de algodão e lã para alinhavar folhas e flores em distintas etapas de sua existência. Colagens, esculturas orgânicas e fotografias revelam a transformação da arte viva, que independente da ação da artista, necessita cumprir o ciclo natural. “A natureza, o oráculo de Paula na busca de inspiração e respostas e as intervenções feitas por ela em seus fragmentos ganham diferentes suportes como suspensas no espaço, em um idílico site specific que funciona como um portal na entrada da exposição. Em outro momento, essa matéria-prima é reunida em delicadas caixas de acrílico, misturando-se a fios e palavras bordadas”, pontua Ana Carolina Ralston.

A relação da artista com a efemeridade sempre esteve presente. De forma intuitiva, Paula fez do efêmero mais do que um objeto contemplativo, tornando-o a principal temática de sua expressão artística. “Na cultura ocidental, temos dificuldade em olhar para a morte. Mas ela nem sempre representa o fim. Ela é parte da transformação para um outro estágio ou outra consciência. É por meio de nossas pequenas mortes individuais que fechamos ciclos e começamos outros”, relata a artista.

Artista multimídia, Paula Costa faz uso da matéria orgânica, que seca e envelhece dia após dia. Para produzir o que não foi feito para durar, exercita a cada bordado e instalação a humildade e o desapego. Assume a vida útil como elemento significativo no seu propósito artístico. “Minha maneira de afirmar minha passagem pelo mundo é aceitando o tempo de duração das coisas. O artista vem bem antes da arte. Mas a vida, antes de tudo”, finaliza.

Sobre Paula Costa
Artista multimídia, formada em Marketing em 2003. Realizou cursos de pintura, desenho, vídeo instalação e laboratório de pesquisa na escola de Artes Visuais do Parque Lage, no Rio de Janeiro. Conceito e Imagem foram suas atividades durante os últimos 16 anos, nos quais trabalhou no mercado da moda, em marcas como Farm, Fábula e Bb Básico, além de dirigir campanhas para a Mormaii e Coca-Cola Jeans. Realizou sua primeira exposição individual, Transborda, em outubro de 2017 no Espaço Movimento Contemporâneo Brasileiro/EMCB, no Rio de Janeiro. Em março de 2018, foi artista convidada para a exposição O Poder do Feminino, na Art Lab Gallery, em São Paulo. A artista vive e trabalha no Rio de Janeiro. 

Emmathomas welcomes Paula Costa for its first mezzanine pop-up exhibition

Ephemera, curated by Ana Carolina Ralston, occupies the gallery’s second floor, holding around 15 works by the guest artist for the inauguration of Emma POP

As of November, Emmathomas Gallery opens the mezzanine’s exhibition space to pop-ups from guest artists. Born in Rio, Paula Costa launches the Emma POP project; its main objective is to provide an environment of artistic experimentation for prominent names of the contemporary scene, selected by the curator Ana Carolina Ralston. The living and ever-changing art is the leitmotif of Ephemera, a solo project that opens to the public at 7pm on November 22nd on the gallery’s mezzanine.

Time. Paula Costa’s work treads through time, between the beauty of blooming and aging. She utilizes needles, cotton thread and wool to tack leaves and flowers in different stages of existence. Collages, organic sculptures and photos reveal the transformation of the living art, which needs to fulfil its natural cycle regardless of the artist’s actions. “Nature, Paula’s oracle in the pursuit of inspiration and answers, and the interventions made by her in its fragments get different supports as if suspended in space, in a specific idyllic site that works as a portal at the exhibition’s entrance. In another work, this raw material is gathered in delicate acrylic boxes, mixing with threads and embroidered words,” notes Ana Carolina Ralston.

The artist’s relationship with fleetingness has always been present. Intuitively, Costa made it so that fleetingness can be more than simply a contemplative subject, turning it into the main theme of her artistic expression. “In western culture, we have a hard time looking at death. But it does not always represent the end. It is part of the transformation into another stage or another consciousness. It is through our little individual deaths that we close cycles and begin others,” says the artist.

Being a multimedia artist, Paula Costa works with organic matter, which dries up and ages daily. She carries humility and detachment to produce what wasn’t meant to last, in each embroidery and installation. She also utilizes lifespan as a significant element in her artistic purpose. “My way of reassuring my passage through the world is by accepting the lifespan of things. The artist comes well before art. But life comes before everything,” she concludes.

About Paula Costa
Multimedia artist and marketing graduate (2003). She took courses in painting, illustration, video installations and research laboratory at Artes Visuais do Parque Lage school, in Rio de Janeiro. Her main activities have been Image and Concept during the last 16 years. She worked in the fashion industry, with brands such as Farm, Fábula and Bb Básico. She has also directed advertisement campaigns for Mormaii and Coca-Cola Jeans. She carried out her first individual exhibition, Transborda, in October 2017, at Espaço Movimento Contemporâneo Brasileiro/EMCB, in Rio de Janeiro. In March 2018, she was a guest artist for the exhibition O Poder do Feminino (The Power Of Femininity), at Art Lab Gallery, in São Paulo. The artist resides and works in Rio de Janeiro.